domingo, 1 de julho de 2012

Timbres de Outono

Sinto nas paredes um outro olhar
vestido de nostalgia e de timbres de outono

há um leito de luar
sorrisos do vento embalando girassóis
azulando as folhas secas

a sombra adormece
no despertar dos silêncios
onde crescem fios de luz que me enlaçam
em segredo

o sonho solta-se
diante do que não sei e desejo
estende-se num grito de asas e memória

e eu sinto o sopro do pôr do sol
no impulso do verso colado à voz do momento
para além do tempo.

Brígida Luz
07.11.10

Sem comentários:

Enviar um comentário