quarta-feira, 4 de julho de 2012

Lucidez

Branca silhueta ao fundo
das palavras
é a opressa incerteza
da minha lucidez
quando esta por mim passa

pedra
muda
avessa.

Nenhum manto
nem um rio
nem toque de lábios
embrião de espelhos.

Densa superfície de mar
álgida sílaba
cicatriz.

Brígida Luz
31.01.11

1 comentário:

  1. olá Brígida

    as feridas da lucidez
    são por vezes as mais difíceis de curar

    deixam marcas
    condicionam o ser.

    belo poema
    bj

    ResponderEliminar