domingo, 1 de julho de 2012

Como Quem Procura...

Como quem procura nas ondas do tempo
a vertigem da luz
e reflecte a teia do sonho nas gotas
encharcadas de manhãs

como quem se banha num verso nu
e encontra um chão no ruído dos silêncios
escondidos entre violinos e sombras

como quem acende pensamentos desabitados
e esquece
e cala
no cansaço do vento
os olhos povoados de estios

como quem sopra para o alto
o frio da noite
e agarra o equilíbrio no calor da chave
que os pássaros libertam
e alimentam.

Brígida Luz
03.11.10

Sem comentários:

Enviar um comentário