terça-feira, 3 de julho de 2012

Ensina-me um Mar...

Se um dia me vires caída
sob a minha sombra
pergunta à vida
onde escondeu as pedras polidas
que não me deu. Nelas me deitei
regato e em manhãs
de pássaros voei um tempo
que nunca foi meu.

Rasguei no vento passos doridos
e às vezes dói-me
o frio dos rios
em poeiras da alma que o silêncio soprou.

Se um dia me vires caída
sob a minha sombra
acende luas no meu olhar
e nos teus olhos de água
ensina-me a vastidão de um mar
em que das pedras me perca
sem que me perca de mim.

Brígida Luz
23.01.11

1 comentário:

  1. Belíssimo poema!

    Deixe que destaque:

    "... Nelas me deitei
    regato e em manhãs
    de pássaros voei um tempo
    que nunca foi meu."

    Lídia

    ResponderEliminar