quarta-feira, 25 de julho de 2012

A dança da luz



Talvez habite um rio
onde sei de cor a utopia das pedras
ungidas de silêncio. Talvez celebre
o encontro quando depurar
de falas turvas as horas
perdidas entre nítidas veias de lodo.

A sombra espera que a voz
dos sinais desvende
o brilho das palavras.

Talvez nesse dia inscreva no ventre da terra
os fios de luz que
um por um
dançarão os caminhos
e reinventarão o sol nas raízes da casa.

Brígida Luz

2 comentários:

  1. rios suspensos em turvo lodo
    utopias silenciadas na sombra das palavras

    E a voz que no verso reinventa a raiz do tempo


    Belo

    Bjo.

    ResponderEliminar
  2. Talvez um dia Entenda…
    Entrelinhas,
    Renascendo em luz.

    Linda, a tua poesia.

    Beijo

    ResponderEliminar