segunda-feira, 16 de julho de 2012

Esboço



Nas mãos
só os ventos repetidos
e um céu de pensamentos
filtrado pelas cortinas.
No chão
o sol da manhã
gasto
e o foco em quadros mudos
dispostos em queda.
Os passos
repisados
enquanto espero
e o tempo nem repara.
Nos olhos
o apelo líquido de um silêncio
curvado sobre a mesa
à procura de uma árvore
carregada de sonhos
dentro de um ramo a envelhecer.

Brígida Luz

3 comentários:

  1. ...ou uma boa maneira de começar o dia!
    Texto muito apelativo, prende.
    Chega-se ao fim e lamenta-se.

    ResponderEliminar
  2. Nas palavras o verso reverso que esboça um mundo.

    O tom melancólico, que marca habitualmente tua escrita,
    é contagiante.

    Bjo.

    ResponderEliminar
  3. Mais que um esboço, uma forma marcada de sentir

    "o apelo líquido de um silêncio" lindo

    bj

    ResponderEliminar