sábado, 30 de junho de 2012

Descaminhos

Pisa desnuda a calçada muda
quebra o compasso nos olhares famintos
encontros vendidos em palavras sem voz
caminhos ausentes
tormentos de vidas sumidas
no hálito quente e sabor a fel
de pele suada em noites escondidas. 
A chuva miúda lava o negro silêncio
de um cansaço que já não importa
perdeu-se no reflexo da sombra.
São despojos sem dono
cama desfeita em morada incerta
mentiras de ontem
doce fantasia de sonhar o talvez de um dia...

Brígida Luz
20.06.10

Sem comentários:

Enviar um comentário