domingo, 18 de junho de 2017

domingo - 18.06.17

R.I.P.


sábado – 17.06.17

O sol ficou cinzento. E o uivo do vento ergueu em chamas o grito e o lamento. A pele da terra, cárcere de nomes e nomes, perdidos num horizonte de labaredas. Cinzas de morte e de dor a cobrirem um chão em fuga. Semeado de vultos. E de escuridão. E de silêncio. A névoa no interior das palavras. O pânico por dentro das vozes. O sangue a romper os olhares. E todos podemos tão pouco. E todos sentimos a insensatez da nossa “vã glória de mandar”. E todos sabemos do nosso lugar no cosmos. Infinitamente pequenino. Tão assustadoramente desimportante.


BL

Sem comentários:

Enviar um comentário