sábado, 10 de junho de 2017

10.06.17 - sábado

Foto de BL
10-06.17 – sábado

Hoje, tudo o que eu precisava era de me sentir “filha”. Ser “filha”. Apenas. A saudade de ser “filha”. De ter a mãe e poder chamá-la. Saber que ao dizer “mãe”, ouviria uma resposta, que poderia ser somente uma sílaba. “Hum!” _ diria a minha mãe. E ela estava ali, comigo, perto de mim. E então eu poderia começar a minha ladainha de desabafos que são só para mães ouvirem, porque não existem outras pessoas que estejam preparadas para isso. Mãe é sangue, é carne viva. É alma, coração, é dor, é amor. Descobre-nos em cada hesitação da voz. Segura entre as dela a nossa mão, cuida de nós. Lê-nos o olhar. E dá-nos o colo, sem hesitar.
Há muitos anos que não sou filha. E “ser filha” era tudo aquilo de que eu hoje precisava.

Sem comentários:

Enviar um comentário