domingo, 8 de novembro de 2015

Mas há o mar...

Muito além do reflexo. A mergulhar
em águas desnudas de sílabas retocadas
de sussurros quentes.
Queria encontrar-te aí
o olhar fixo no tempo quieto
a dizer o meu nome com a tua voz lavada
e eu suspensa no tempo
a ter a certeza dos teus passos
a caminho de algum lugar.
Convergentes. Os passos. Os teus e os meus.
Até encontrarmos o sol no fundo do mar.

Brígida Luz
08.11.15

Sem comentários:

Enviar um comentário