quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Decifração


Fazer destas paredes a folha em branco
dedos de árvores a pintarem um tempo nu
uma porta de entrada
um recomeço de vozes
ou de palavras


_sabe-se lá_

Fazer deste momento uma lentidão
a passar-me pelas horas
um céu suspenso na imensidão azulada
uma serena linguagem de mar
longínqua viagem de gaivotas


_ou o manto inocente do silêncio que me rodeia_

Brígida Luz

1 comentário:

  1. "Fazer destas paredes a folha em branco
    dedos de árvores a pintarem um tempo nu
    uma porta de entrada
    um recomeço de vozes
    ou de palavras

    _sabe-se lá_"

    (...)

    Sabes escrever da poesia a excelência
    (que já me habituei a encontrar nesta luz fragmentada)
    mas este poema é absolutamente poderoso
    E incontornável
    Talvez um dos teus melhores poemas

    Bjo.

    ResponderEliminar