segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Ao fundo da folhagem


Os olhos
ao fundo da folhagem
a serem poalha luminosa.

A estrada
há muito tempo longa
muito longe lenta.

As vozes
a solidão das vozes
ecos de oposição
nos pensamentos.

O tempo
sempre o tempo
a poder ser traço
ou instante
imagem esparsa do voo de um pássaro.

Brígida Luz
26.10.15

1 comentário: