sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Lua cheia

Apagar a história. Uma narrativa
de ruas vazias a atravessarem o mundo
dias suspensos

espalhados por entre as pedras
da rua.

Encontrar-te à distância de um abraço
e ficarmos a olhar o último horizonte

até perdermos o tempo de vista.

Entranhar no silêncio a claridade
da noite. Lua mansa. Lua cheia.

Adormecer no rumor da luz as escarpas
da memória.

Brígida Luz
25.12.15

1 comentário: