quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

No interior de um lugar quieto

Carregar a força de um nome antigo
no silêncio do olhar.

Imagens do círculo
inevitável
das metamorfoses dos dias.

Transparências simples
de convicções que são

o reflexo da luz
sobre si mesma.

O início de um lugar
quieto
palavra imóvel entre poentes

a fixarem-se na linha esguia das árvores.

Brígida Luz
05.01.16

1 comentário:

  1. Brígida,
    Há um vislumbre, uma ideia, uma vontade que se desenha. Contudo, vá lá saber-se o porquê, as amarras continuam a ser fortes...

    Um beijinho :)

    ResponderEliminar