segunda-feira, 29 de julho de 2013

Retrovisor


Ajeito o espelho e deixo
que o tempo se desdobre em paisagens e destinos
até onde o olhar me sobra.

Dilui-se na lonjura o arvoredo
e é quase vã a esperança de encontrar
a margem da planura
onde
por esta altura
profundo e quente o silêncio cantaria.

Subtraio ao chão que piso o pensamento
e neste viajar entre espaços imprecisos
e pedaços de incertezas peregrinas
deslizo os dedos pela luz das madrugadas
ou memórias rendilhadas de charneca e neblinas.

Ajeito o espelho. O gesto é vagaroso e delicado
a consertar as horas
peça a peça
a descalçar o tempo
que recomeça.

E é neste pó de verão que
hoje
eu prossigo o meu percurso.

Brígida Luz

2 comentários:

  1. Ponto por ponto

    em todos os apeadeiros da vida

    ResponderEliminar
  2. hallo.....please if you want to use my image......write my name as the photographer........ http://1x.com/photo/110511/latest:user:106691

    ResponderEliminar