sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Sob luas e silêncio

Para te explicares as palavras inquietas
voltas a olhar o horizonte
e a viver o silêncio que o outono descobre.

Do tempo verás nascer
lentamente o infinito

e é provável que te abeires de um refúgio
onde a lágrima atravesse a inocência
da primeira luz da manhã

e se deixe morrer sem nome.

Brígida Luz
25.09.15

Sem comentários:

Enviar um comentário