terça-feira, 19 de maio de 2015

Poema de um tempo agitado


Traçar o ângulo mais perfeito da flor

e colher a luz inteira que nela crepita.



Projetar na tua ausência o sabor

das palavras límpidas



e ouvir a tua voz

como se fosse um corpo de névoa

ou o silêncio da tarde que finda.



Talvez a lonjura do olhar

se aquiete nas folhas de vento

em que o tempo se agita.



Brígida Luz

2 comentários:

  1. Mais um belo poema, Brígida.
    Quando temos um livro? Ou já existe?
    Um beijo.

    ResponderEliminar