sábado, 13 de junho de 2015

Nomes cercados de águas e de tempo


Explicar lentamente

o longo caminho de um pequeno corpo maior que o mundo

onde a vida é princípio

e o poema um sismo a romper as veias.

Sonhar a inocência de abril

em nomes cercados de águas e de tempo

e neles celebrar o amor e o sol que se agiganta.

Fechar os olhos e atravessar a luz profunda

a abrir-nos o peito

para que se cumpram todas as certezas.



Brígida Luz

13.06.15

4 comentários:

  1. cumprir as certezas no verso
    lentamente Ser

    Belissimo

    ResponderEliminar
  2. Não existem certezas

    só verdades improváveis

    ResponderEliminar
  3. "o poema um sismo a romper as veias"... Tão belo, o poema.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  4. O poema é simplesmente ímpar!...
    AbraçO

    ResponderEliminar