segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Partidas


E hoje há um perfil aberto

ao vento contraditório

de novembro. As partidas

fundem-se no meu corpo

como árvores despidas a transitarem

entre o sangue e as memórias.

E doem-me os olhos

afogados em sílabas vazias.



E esta chuva miudinha

a agudizar o silêncio

preso à líquida brevidade das palavras

que passam por mim num ilusório gesto de água.



Brígida Luz

4 comentários:


  1. "E hoje há um perfil aberto ao vento contraditório de novembro."

    Um verso soberbo num poema profundo

    ResponderEliminar
  2. Lá estaremos

    à partida e à chegada
    até aos belos relâmpagos

    ResponderEliminar
  3. Também me doem os olhos quando afogados em sílabas vazias... Mais um excelente poema.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  4. Imagético, como espelho de água.

    Um beijo

    ResponderEliminar