domingo, 21 de setembro de 2014

Esquecimento


Entrar por dentro da árvore

e com mãos firmes

cobrir os dias de folhas verdes.



Escavar no tronco um lamento

um refúgio de atalhos

e de esquecimento.



Ah, o esquecimento!

Barcos de silêncio a levarem

a pulsação dos caminhos largos.



As águas mornas

de onde renascesse rocha.



Até as palavras rolarem

e me entregarem à lonjura antiquíssima do tempo.



Brígida Luz

1 comentário: