sexta-feira, 28 de setembro de 2012

... e o cais espera


Os pássaros cantam a terra fresca
gritam na alma os tesouros
de um raio de sol
estendido no tempo que aguarda
a música e a luz
de uma espiral por saciar.


As árvores vacilam uma ou outra vez
e o jardim suspira cansado
por não se clarear.


A borboleta brilha
o silêncio pondera
o vento partilha um calafrio


... e o cais espera...

... ou já caiu?

E o rio?

E o rio?

Brígida Luz

3 comentários:

  1. Se os pássaros cantam a terra fresta, então tudo está bem :)

    Bjs

    ResponderEliminar
  2. olá Brígida,

    em poucas palavras
    porque o sentir, este poema, é como um quadro de silêncios
    e sobre este poema, apenas digo
    que está belissimo

    bj

    ResponderEliminar
  3. O cais espera na melodia do silêncio(o tempo),o rio(a vida) que

    flui... E mais bela na tua poesia que (en)canta!!

    Beijinhos de luz,Brígida.

    ResponderEliminar