terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Na lucidez da noite

Atravessar círculos concêntricos de ventos
e de escuridão.
Escutar a pulsação do silêncio
e a solidão
na oscilação das árvores.

Olham-me paredes em branco
e as ausências sobram-me
nos espaços de formas
arbitrárias

preenchidas por linhas imprecisas
quase indecifráveis.

E ao mesmo tempo
o peso do puzzle a espartilhar o pensamento
a dor acostada ao gesto adormecido no refúgio da noite.

A casa adiada. A pedra inocentemente
perdida na inclinação da vertigem.

Ou na migração das manhãs.

Brígida Luz
11.02.18

1 comentário:

  1. "Atravessar círculos concêntricos de ventos
    e de escuridão.
    Escutar a pulsação do silêncio
    e a solidão
    na oscilação das árvores." - revisitando uma escrita onde sempre encontro

    ResponderEliminar