quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Pelos dias que passam



Ainda que longe
dizes-me por dentro as árvores
que são as tuas. A chuva triste

ou o silêncio que transportas
nas tuas mãos cansadas

quando os olhos te seguram as estrelas
dia após dia

e o vento traz a noite

ou searas improváveis

por onde se perde
longe

tão longe

o tempo da casa.

Brígida Luz

Sem comentários:

Enviar um comentário