sexta-feira, 22 de agosto de 2014

os lugares das coisas


 
 
tudo o que eu precisava era

saber como fusionar os dois lados

do tempo



aceitar-me no exato ponto

de fusão



em que a vida amadurece

e os sinais se abrem

como bússolas



e os lugares das coisas

a saberem pronunciar o meu nome.



Brígida Luz

2 comentários:

  1. No lugar onde o tempo deixa de correr. É aí que as coisas pronunciarão o teu nome.
    Mais uma belo poema.
    Beijo.

    ResponderEliminar