terça-feira, 13 de novembro de 2012

O lado invisível



Há um lado de mim
que não me pertence. É uma folha invisível
a voar sobre o mar
a olhar a gaivota
que abre a janela aos sonhos da lua
a buscar a verdade
nas frestas do vento
a crepitar memórias
nos olhos do tempo.


Há um lado de mim
que acende a lareira
e aquece as palavras
na casa da árvore da cegonha branca
onde amanhece a alma
quando a noite se deita.


Há um lado de mim
onde o silêncio se aceita
e o pôr do sol se ajeita
no outro lado de mim.


Brígida Luz

10 comentários:

  1. Há sempre um verso oposto
    no oposto do verso

    Há um lado de mim
    que não pertence

    Bjo.

    ResponderEliminar
  2. "Há um lado de mim
    onde o silêncio se aceita
    e o pôr do sol se ajeita
    no outro lado de mim."

    A luz que emana do teu ser em oceano poético... Em sol que nasce

    a tua poesia perene numa beleza ímpar...

    Adoro ler-te!!

    Beijo luz,Brígida.

    ResponderEliminar

  3. Linda, bela, sensivel
    Invitación
    Yo soy brasileño, y tengo un blog, muy simple.
    Estoy lhe invitando a visitar-me, y se posible, seguimos juntos por ellos.
    Fuerza, Alegría y Amizad.
    Ven acá, y, deja un comentario, para Yo seguí tu blog.

    http://www.josemariacosta.com

    ResponderEliminar
  4. Um lado, que tem asas
    Como alma da própria alma,
    “Que cria seus voos”
    E esse lado, que não te pertence …
    Faz excelente poesia

    Beijo

    ResponderEliminar
  5. Somos cristais multifacetados

    ou pedras com vida por dentro

    ResponderEliminar
  6. Perfeita limpidez, na tua escrita, um mundo de imagens ternas, e tanto sentimento, nela se lê, sempre surpreendes, dai a minha admiração.
    Deixo um beijinho com agradecimento pela amizade e partilha.

    ResponderEliminar
  7. Voltou a publicar este verso...
    Gosto muito da sua poesia.

    ResponderEliminar